Manifesto da Esperança

Antes de mais nada, preciso falar que hoje aqui no Pop Pop vamos falar sobre o Manifesto da Esperança. O manifesto foi publicado no Dezzen e tem autoria de Li Edelkoort. Algumas pessoas tem chamado esse Manifesto de Manifesto Anti-Fashion, mas eu fiz uma tradução mais literal do texto…

blog multimidia
No Blog Pop Pop você pode ler o texto, ouvir o áudio, e visualizar as imagens!!!
Parte 1


Contudo, no manifesto, Edelkoort propõe um “Fórum Mundial da Esperança” para contrabalançar o Fórum Econômico Mundial.


Em outras palavras “Sob a liderança de embaixadores escolhidos nos países participantes, o Fórum Mundial da Esperança reunirá palestrantes e estudos de caso selecionados, boas práticas, reinvenções de varejo e idéias inovadoras que surgirão na primavera do avivamento”.

Aqui está o texto completo do manifesto de esperança de Edelkoort:

O FÓRUM MUNDIAL DA ESPERANÇA

Sob o cerco do vírus Covid-19, muitas pessoas passaram a entender que deveriam mudar seus padrões de comportamento, não viajando muito, produzindo demais, consumindo demais ou consumindo muitos recursos. O conforto de estar em casa e trabalhar em casa, desperdiçando tempo em vez de dinheiro, levou as pessoas a abandonar o vício em coisas materiais e a um campo de compartilhar, cuidar e fazer. Fazer comida, fazer música, fazer amor e fazer roupas e artesanato se tornaram o centro da vida; aprendendo as habilidades de improvisação que inflamam uma cultura mais criativa. A maioria das pessoas não quer voltar para a mesma sociedade antiga e deseja mudar suas vidas para sempre.

A ECONOMIA DA ESPERANÇA:
COLOCANDO AS PESSOAS ANTES DOS LUCROS

Muitas empresas, designers e diretores ouvem esse pedido de mudança e sabem que não devem perder essa chance de uma ampla reestruturação dos negócios, desacelerando seu ritmo.

No final desta pandemia, como se depois de uma guerra, apenas nossos prédios permaneceriam de pé e tudo o mais teria mudado. É certo que muitas empresas serão forçadas a uma maneira mais enxuta de produzir bens e serviços, com algumas empresas pulando linhas de produção que não são mais consideradas vitais, mantendo os produtos atuais para a oferta do próximo ano e professando um senso comercial mais econômico. Os designers estabelecidos estão reconsiderando a quantidade de itens que desejam conceber e realizar, recalibrando seu sortimento de acordo com a demanda calculada com precisão.

Parte 2

A ECONOMIA DA ESPERANÇA:
ESSENCIAL É O CAMINHO A SEGUIR

A moda tem a oportunidade única de reverter a prática insana de entregar caxemira em maio e moda praia em novembro. Em um futuro pós-vírus, as pessoas devem poder comprar um casaco de inverno no inverno e um verão curto no verão. As roupas provavelmente se tornarão essenciais e mais uniformes. O design do produto também ganhará impulso crucial, dando forma ao design autônomo em menor escala, artesanal em ateliês, mantendo uma conexão privilegiada com colecionadores e clientes.

Os desastres são conhecidos como ferramentas poderosas de ignição para formas radicais de transformar as práticas de negócios. Muitos países financiarão o retorno da produção às suas próprias margens e a terceirização se tornará mais diversificada e menos excessiva, cuidando melhor dos trabalhadores e do meio ambiente.

Para colher essas idéias emergentes – e também aprender com as boas práticas estabelecidas antes desse desastre global -, desejamos organizar uma plataforma internacional para contrabalançar o Fórum Econômico Mundial.

O FÓRUM MUNDIAL DA ESPERANÇA

O Fórum Mundial da Esperança é um novo encontro que incluirá mudanças climáticas em sua agenda, além de cuidar de todas as pessoas negligenciadas envolvidas em cadeias e serviços de produção. Sob a liderança de embaixadores escolhidos nos países participantes, o Fórum Mundial da Esperança reunirá palestrantes e estudos de caso selecionados, boas práticas, reinvenções de varejo e idéias inovadoras que surgirão na primavera do avivamento. Diferentes soluções e cenários reunidos em um fórum global (virtual) uma vez por ano. Conceitos dinâmicos e dados econômicos serão analisados ​​e trocados, para que todos aprendamos e inspiremos nossas energias criativas. Os resultados serão publicados posteriormente e o acesso de código aberto permitirá que outros o sigam. Reconstruindo o renascimento da sociedade juntos.

Parte 3

CUIDANDO DO PLANETA E DAS PESSOAS

Podemos começar do zero e construir novos sistemas em que aspectos sociais e comuns superem o ego, onde a moral e os valores anulam os lucros dos acionistas e onde a colaboração e a cooperação prevalecem para dar a mais pessoas oportunidades iguais. Não temos escolha a não ser unir forças e permanecer juntos. Novos pactos precisam ser estabelecidos entre produtores de fibras, fabricantes de fios, indústrias têxteis e casas de moda, entre produtores de matérias-primas, designers independentes e seus artesãos. Cadeias inteiras precisam ser integradas, estimuladas por fundos federais, encontrando interesse e renda compartilhados com esse renascimento nos negócios. A economia da esperança tem potencial para transformar a sociedade a partir de dentro.

Igualmente com Dezeen e Business of Fashion , queremos entrar em contato com designers, líderes do setor, empresas de estilo de vida, o público em geral e um número crescente de amadores criativos.

Lidewij Edelkoort, Sexta-feira Santa, 10 de abril de 2020

Em suma, este manifesto é lançado como parte do Virtual Design Festival, iniciado por Marcus Fairs, fundador da Dezeen; por fim será descrito mais detalhadamente na Voices , a plataforma anual imaginada por Imran Amed, fundador do Business of Fashion. Portanto, consulte mais informações: 

Siga o Pop Pop no Instagram
Translate »